5 erros mais comuns na avaliação de desempenho

5 erros mais comuns na avaliação de desempenho

5 erros mais comuns na avaliação de desempenho

Necessárias e muito importantes, as avaliações de desempenho são, de acordo com o autor Idalberto Chiavenato, “uma apreciação sistemática do desempenho de cada pessoa, em função das atividades que ela desempenha, das metas e resultados a serem alcançados e do seu potencial de desenvolvimento”.

Ou seja, consideradas essenciais para as empresas, é através delas que seus colaboradores têm a oportunidade de receber um feedback sobre seu desempenho e, com isso, melhorá-lo, criando ainda para a empresa a possibilidade de desenvolver o potencial de cada funcionário, gerando melhores resultados.

Entre os principais objetivos de se trabalhar com a avaliação de desempenho em uma empresa está o de ajustar o perfil do funcionário ao local de trabalho que ele mais se identifica, o aperfeiçoamento contínuo do funcionário e o evidenciamento de problemas de relacionamento.

Assim, com essa ferramenta é possível que você entenda de que forma as atividades estão sendo realizadas, como corrigir desvios e melhorar a produtividade e ainda permite um momento para que gestor e colaborador conversem.

Entretanto, para que isso aconteça, esse processo deve ser feito de forma correta, a fim de evitar que o resultado seja o oposto e acabe afastando equipe e chefia. E para você saber se está no caminho certo, listamos os cinco erros mais comuns em avaliações de desempenho:

1- Ser muito superficial

Pior do que não fazer uma avaliação, é fazer uma muito superficial. Ter um feedback fraco e que não traga nenhuma informação útil para seu funcionário é frustrante e pode acabar desmotivando.

Por isso, elas devem ser detalhadas, citando o máximo de exemplos reais possível para fundamentar suas opiniões.

2- Falta de preparo

Não ter preparo prévio antes de uma reunião de avaliação de desempenho é um erro grave e, infelizmente, muito comum.

Antes de realizá-la, é preciso anotar os pontos positivos e negativos, além de justificar cada um deles com situações reais. Dessa forma, o colaborador pode entender melhor quando ele teve um bom ou mau desempenho.

Caso a empresa não se sinta preparada para realizar esse processo, existem consultorias externas que podem ajudar e, depois que a prática for instituída, seu RH poderá dar continuidade sozinho.

3- Não ser sincero

Uma boa avaliação só pode ser feita com sinceridade. Mentir não é uma boa estratégia. Por isso, seja sincero e mantenha a imparcialidade.

4- Não entender o significado dos fatores de avaliação

Para que não ocorram erros de interpretação e, consequentemente, problemas nos resultados, os fatores de avaliação devem estar claramente definidos, tanto para o gestor, quanto para o colaborador.

5- Acreditar que o Feedback não necessita de técnicas específicas

É preciso entender que o feedback é muito mais do que uma simples conversa. Pelo contrário, é um processo complexo e que deve ser feito, não apenas após uma avaliação, mas também no dia a dia de trabalho.

Lembre-se: a avaliação de desempenho não pode ficar na gaveta. É através do feedback que você e seu colaborador vão se guiar para as próximas ações e assim desenvolver um trabalho melhor para ambos os lados.

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos


  • Saiba Mais

  • Publicidade